Mês: abril 2014

Resenha: O Apanhador no Campo de Centeio

Imagem

Uma amiga comentou, durante muitos anos, sobre a vontade de ler este livro, porém nunca encontrava o mesmo. Então, quando encontrei a possibilidade de lê-lo, fiquei extremamente feliz.


 

Romance escrito por J. D. Salinger em 1951, está ambientado em 1946, apenas 1 ano após o término da 2ª Guerra Mundial. A obra segue um tempo anacrônico, pois é narrado a partir da consciência do personagem e suas lembranças.

Neste livro, conhecemos Holden Caulfield, um adolescente de 16 anos que acaba de reprovar e ser expulso da escola pela 4ª vez. Holden não sabe realmente como agir após esta expulsão, pois seus pais acreditam que, desta vez, ele está se esforçando, tirando boas notas e não se metendo em confusões. Para adiar a volta para casa e não ter que enfrentar a fúria de sua família, o menino tente adaptar-se aos últimos dias na escola antes das férias. Porém a escola o deixa enojado pela forma como as pessoas agem e por fingirem ser o que não são. Então ele foge para Nova York no meio da noite.

Ao invés de ir para casa, Holden decide se instalar em um hotel e permanecer lá até a data em que voltaria para casa de férias. Permanece lá durante 3 dias, fazendo novos amigos, tentando reencontrar velhos conhecidos e analisando a sua vida. Porém, como seu dinheiro pé limitado, a única alternativa que encontra é voltar para casa, enfrentar seus pais e matar a saudade de Phoebe, sua irmã.

Ao longo do livro, percebemos claramente as angústias do personagem, um jovem rebelde, de classe alta, em uma época em que a sociedade buscava pelo tão aclamado “Sonho Americano”. Muito mais do que os acontecimentos, os pensamentos de Holden nos fazem refletir sobre o vazio da alma, a futilidade e a necessidade de se encaixar em um papel estabelecido pela sociedade, temas atemporais, que necessitam serem refletidos até os dias atuais. O jovem é egoísta, impassível, mentiroso, covarde, desajustado e irresponsável, mas também é sensível e ama sua irmã. O título do livro retrata o momento em que Caulfied reflete sobre seu papel na sociedade e percebe que não conseguiria ter alguma profissão convencional, mas se imagina em um campo de centeio cuidando para que várias crianças não caiam pelo abismo.

É uma história que merece ser lida e relida por pessoas de todas as idades. Merece ser discutida e debatida, além de ser feita reflexão sobre diversos aspectos de nossas vidas que são comparáveis a vida de Holden. Será que vale a pena se deixar levar pela sociedade? O que pesa mais: nossa vontade de agradar a sociedade ou nossos desejos em relação a nossa vida?

Anúncios

Resenha: As Vantagens de Ser Invisível

As-Vantagens-de-Ser-Invisível-184x300Stephen Chbosky é o autor deste maravilhoso livro que possui uma excelente adaptação para o cinema, incluindo a linda Emma Watson no elenco.


Sem cair em um estereótipo montado sobre o universo adolescente, Chbosky conta a história de Charlie através de cartas escritas pelo próprio personagem para um personagem desconhecido.

Charlie é um menino solitário, tímido, introspectivo, que vive um cotidiano monótono. Um amigo se suicidou e a sua tia mais próxima morreu durante a sua infância. Após esses acontecimentos, Charlie nunca mais teve uma amizade, tornando-se extremamente solitário.

Com 15 anos, Charlie entra no Ensino Médio e percebe várias mudanças em sua vida. Seu professor Bill o ajuda a explorar sua paixão pela leitura fazendo com que ele melhore sua escrita. Por isso o livro começa com uma escrita relutante e, aos poucos, a escrita vai se desenvolvendo melhor.

Em um jogo de futebol, Charlie conhece Sam e Patrick. A partir de então, sua vida se torna intensa. Festas, drogas, relacionamentos, sexo, amor, transtornos psicológicos, amizade e relacionamento familiar são tratados no decorrer das cartas.

Apesar de Sam e Patrick serem politicamente incorretos e serem o oposto de Charlie, formam um ótimo trio. Com eles, Charlie finalmente tem o que nunca antes encontrou: pessoas com as quais ele poderia contar sempre.

O relacionamento familiar de Charlie, principalmente com sua irmã, está repleto de emoções intensas que, em determinados momentos, me surpreenderam com lágrimas nos olhos.

Acompanhar este ano de cartas de Charlie é extremamente enriquecedor para o modo como vimos nossa vida. Charlie põe todas as cartas na mesa, mostrando de forma nua e crua como é o dia-a-dia de um adolescente.

Só digo uma coisa: se você ainda não leu, leia! Com certeza irá se identificar com vários pontos de vários personagens.

Para finalizar, um trecho de uma das cartas de Charlie:

“Sam se sentou e começou a rir. Patrick também riu. Eu comecei a rir. E naquele momento eu seria capaz de jurar que éramos infinitos.”

Resenha: As Cinco Pessoas que Você Encontra no Céu

As_cinco_pessoas_que_vc_encontra_no_ceu2Este livro não é muito conhecido e foi escrito por Mitch Albom. Existe um filme de mesmo nome baseado neste livro.

Admito não saber exatamente como esta resenha vai se desenrolar, pois a mensagem que o livro passa supera quaisquer palavras que eu conheça.


Tudo começa com Eddie, um senhor de 83 anos que trabalha em um parque de diversões. A história parece começar pelo “fim”, no dia do 83º aniversário de Eddie e também dia de sua morte.

Veterano de guerra e mecânico de parque de diversões durante boa parte da vida, Eddie é amargurado, com o coração repleto de rancores e arrependimentos. Sua morte ocorre quando o senhor arrisca-se a salvar uma garotinha em um acidente com um brinquedo do parque.

Após sua morte, Eddie encontra cinco pessoas que fizeram parte de sua vida. Essas pessoas talvez não tenham participado diretamente da vida de Eddie, porém algumas ações dele interferiram na vida das cinco pessoas.

A narrativa ocorre de forma anacrônica, ao mesmo tempo em que Eddie vai encontrando as pessoas, vai lembrando-se de fatos que ocorreram em diversas fases de sua vida.

A mensagem que fica é de que todos nós somos importantes durante nossas vidas e que nossos atos interferem direta ou indiretamente na vida de outras pessoas.

Com certeza é um livro recomendado para todas as pessoas que irá emocionar e fazer refletir muito!

Resenha: Harry Potter e a Pedra Filosofal

Harry-Potter-e-a-Pedra-Filosofal-livro-233x350

Obviamente começarei a série de resenhas de livros pelo precursor do meu interesse por sagas do gênero. Li este livro aos 8 anos, quando o filme de mesmo título foi lançado. Porém, só assisti ao filme após ler o livro.

Este é o primeiro livro, de uma série de sete. Foi escrito por J.K. Rowling, uma britânica que possui um grande poder com as palavras.


 

Aquele menininho órfão de 11 anos, de óculos e roupas de 2ª mão me encantou pela sua simplicidade. Morar com os Dursley, seus tios e primo “trouxas” (não bruxos), não foi uma tarefa fácil, mas Harry Potter tirou de letra os 10 anos naquela casa.

Quando corujas começam a deixar cartas para Harry , tio Válter resolve sair da cidade para evitar que o menino as receba. Potter jamais iria imaginar como sua vida iria mudar. Após o guarda-caça da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts invadir a cabana onde estavam e o menino descobrir que é um bruxo, com certeza Harry nunca mais esqueceu seu aniversário de 11 anos. Mesmo após descobrir ser um bruxo, um bruxo muito famoso ainda, não se deixa levar pela fama.

O ano escolar inicia com algo que Harry não possuiu durante todos os anos que morou com os tios e o primo: uma amizade verdadeira. Ser amigo de Ronald Weasley, o garoto pobre, tornou mais fácil para Harry lidar até com a verdade sobre a morte de seus pais: Voldemort, o famoso bruxo das trevas, assassinou Lílian e Tiago Potter, mas não conseguiu matar Harry, deixando apenas uma cicatriz em forma de raio em sua testa. Hermione Granger é outra que se torna amiga de Harry e o ajuda em muitas aventuras durante o seu ano escolar, inclusive a lidar com Draco Malfoy, o menininho mimado que implica constantemente com o trio.

Próximo ao término do ano letivo, Harry e seus amigos descobrem a respeito de Nicolas Flamel, importante alquimista e amigo de Alvo Dumbledore, o poderoso bruxo diretor de Hogwarts. A Pedra Filosofal, criação de Flamel, está escondida em Hogwarts e Voldemort está a sua procura, com o auxilio de um dos professores. Harry, Mione e Rony enfrentam vários desafios para salvar a Pedra das mãos do bruxo das trevas.

O livro é encantador e mostra muito bem o crescimento e as descobertas de Harry. Suas aventuras confirmam o laço de amizade que possui com Rony e Mione. A sabedoria de Dumbledore também é muito importante, pois mostra ao público alvo (principalmente crianças e jovens) que: “Para a mente bem estruturada, a morte é apenas a aventura seguinte”.

Justificativa do Blog

Para quem não me conhece, meu nome é Lauren, tenho 20 anos e sou apaixonada por livros. Acredito que ler é entrar em outro mundo, sair da realidade. Através dos livros encontram-se novo amigos, novos amores, novas perspectivas de vida, novas visões de mundo.

Para mim, tudo começou aos 3 anos, quando aprendi a ler. A partir de então, não consigo passar um dia sem ler ao menos algumas páginas.  Porém, a leitura se tornou ainda melhor após eu ler Harry Potter e a Pedra Filosofal aos 8 anos. Desde então, os livros se multiplicaram e já passo dos 1000 livros lidos ao longo dos meus 20 anos.

Para passar um pouquinho do que li e aprendi e conversar com outros leitores, criei este blog. :D