guerra

Resenha: Em Chamas

Em-Chamas

Continuando as resenhas sobre a trilogia escrita por Suzanne Collins, hoje o post é a respeito do segundo livro Em Chamas.

Após Katniss e Peeta burlarem as regras dos 74º Jogos Vorazes, eles partem para a Turnê, onde passam por todos os Distritos. Porém, à medida que passam pelos diversos Distritos, percebem que a ordem não está reinando em Panem. Em diversos Distritos, percebe-se a presença de ameaças de revolta contra a Capitol.

O clima de tensão só aumenta quando o 75º Jogos Vorazes são anunciados e os próximos tributos serão sorteados a partir daqueles que já venceram a disputa. Ou seja, do Distrito 12 Haymmitch ou Peeta será o Tributo masculino e Katniss certamente será o Tributo feminino. Haymmitch acaba sendo sorteado, mas Peeta se voluntaria para ir em seu lugar.

Na nova arena, Katniss e Peeta formam novas alianças. Após passarem por diversos obstáculos, descobrem que a arena é uma espécie de relógio, aonde vão acontecendo coisas diferentes de acordo com as horas.

Porém, Katniss não sabe que, na verdade, a aliança a qual pertencem vai além dos Tributos. Com a ajuda de diversos rebeldes, Katniss e alguns de seus aliados são retirados da arena. Peeta, entretanto, acaba sendo levado pela Capital. A partir de então, começa a guerra entre Capital e rebeldes.

Considero este o melhor livro da série, com muita ação e menos romance que o anterior. A dúvida de quem é “o verdadeiro inimigo” assola a mente de todos os rebeldes, tornando a luta cada vez mais interessante.

Anúncios