sonho americano

Resenha: O Apanhador no Campo de Centeio

Imagem

Uma amiga comentou, durante muitos anos, sobre a vontade de ler este livro, porém nunca encontrava o mesmo. Então, quando encontrei a possibilidade de lê-lo, fiquei extremamente feliz.


 

Romance escrito por J. D. Salinger em 1951, está ambientado em 1946, apenas 1 ano após o término da 2ª Guerra Mundial. A obra segue um tempo anacrônico, pois é narrado a partir da consciência do personagem e suas lembranças.

Neste livro, conhecemos Holden Caulfield, um adolescente de 16 anos que acaba de reprovar e ser expulso da escola pela 4ª vez. Holden não sabe realmente como agir após esta expulsão, pois seus pais acreditam que, desta vez, ele está se esforçando, tirando boas notas e não se metendo em confusões. Para adiar a volta para casa e não ter que enfrentar a fúria de sua família, o menino tente adaptar-se aos últimos dias na escola antes das férias. Porém a escola o deixa enojado pela forma como as pessoas agem e por fingirem ser o que não são. Então ele foge para Nova York no meio da noite.

Ao invés de ir para casa, Holden decide se instalar em um hotel e permanecer lá até a data em que voltaria para casa de férias. Permanece lá durante 3 dias, fazendo novos amigos, tentando reencontrar velhos conhecidos e analisando a sua vida. Porém, como seu dinheiro pé limitado, a única alternativa que encontra é voltar para casa, enfrentar seus pais e matar a saudade de Phoebe, sua irmã.

Ao longo do livro, percebemos claramente as angústias do personagem, um jovem rebelde, de classe alta, em uma época em que a sociedade buscava pelo tão aclamado “Sonho Americano”. Muito mais do que os acontecimentos, os pensamentos de Holden nos fazem refletir sobre o vazio da alma, a futilidade e a necessidade de se encaixar em um papel estabelecido pela sociedade, temas atemporais, que necessitam serem refletidos até os dias atuais. O jovem é egoísta, impassível, mentiroso, covarde, desajustado e irresponsável, mas também é sensível e ama sua irmã. O título do livro retrata o momento em que Caulfied reflete sobre seu papel na sociedade e percebe que não conseguiria ter alguma profissão convencional, mas se imagina em um campo de centeio cuidando para que várias crianças não caiam pelo abismo.

É uma história que merece ser lida e relida por pessoas de todas as idades. Merece ser discutida e debatida, além de ser feita reflexão sobre diversos aspectos de nossas vidas que são comparáveis a vida de Holden. Será que vale a pena se deixar levar pela sociedade? O que pesa mais: nossa vontade de agradar a sociedade ou nossos desejos em relação a nossa vida?

Anúncios